Saúde e Nutrição

Afinal, o que é o SAL que comemos?

Por Woods, 02 de fevereiro de 2017

Afinal, o que é o SAL que comemos?

O sal é uma substância química conhecida por cloreto de sódio (NaCl) e encontra-se presente em diversos aspectos de nossa vida. Nos organismos vivos, o sal é vital ao

equilíbrio da água e dos eletrólitos dos organismos.

Já na indústria alimentícia o sal tem muitas funções: dá textura aos alimentos, dá sabor,- favorece a percepção do sabor adocicado em alimentos doces, estabiliza as cores dos alimentos,  protege da proliferação de bactérias em alimentos perecíveis (como a carne seca por exemplo),  conserva os alimentos (antigamente quando não existia geladeira era com o sal que conservavam os alimentos).

A hipertensão arterial acontece devido a alta ingestão de sódio (sal) na nossa alimentação e hoje representa um enorme problema de saúde pública. Atinge adultos, idosos e cada vez mais crianças e adolescentes, podendo levar a doenças cardiovasculares e insuficiência renal.

Para diminuir o sódio:

Optar por versões com teor de sódio reduzido e ler os rótulos são atitudes muito positivas na prevenção do consumo excessivo.

TIPOS DE SAL

Atualmente encontramos grande variedade de tipos de sal no mercado. Por definição, todos possuem sódio em sua composição. As diferenças entre eles são a quantidade de sódio e de outros minerais.

O sal de cozinha pode ser encontrado nas seguintes versões:

- Sal refinado

- Sal grosso

- Sal líquido

- Sal light

 

Sal Refinado

É o sal mais utilizado na culinária. Pode ser iodado ou não. O iodo começou a ser acrescentado para prevenir a carência de iodo, que causa problemas como hipertireoidismo, bócio e, em crianças, retardo do crescimento físico e mental. Em algumas regiões, é possível que sejam ainda acrescentados fluoreto e ácido fólico ao sal.

É o sal o mais utilizado no preparo dos alimentos, sendo popularmente conhecido como sal de cozinha.

É obtido pela extração da água do mar, através da evaporação, sendo em seguida refinado, para ser então adicionado de iodo (como medida preventiva de hipertireoidismo e bócio). Ele é processado a fim de remover impurezas, o que também resulta na diminuição da quantidade de outros minerais. Sua textura fina possibilita que seja misturado de forma mais homogênea.

Um grama (aproximadamente o correspondente a 1 colher de chá) contém 400g de sódio.

 

Sal Grosso

 

Trata-se do produto bruto da cristalização da salmoura concentrada vinda da água do mar. Ao contrário do sal comum, ele só passa pelo processo de extração, ou seja, não é refinado, podendo ser moído ou utilizado em cristais mesmo. Por isso, seus grãos são grandes e disformes.

Muito usado para tempero de carnes em churrascos.

Apresenta a mesma quantidade de sódio do sal de

cozinha: 1g de sal grosso contém 400mg de sódio.

 

Sal Líquido

O sal na forma líquida é obtido pela dissolução de sal de altíssima pureza e sem aditivos em água mineral. Com embalagem contendo 250 ml, trata-se do primeiro e único sal iodado do Brasil apresentado na forma líquida. Com sabor suave, o sal líquido pode ser usado em todos os alimentos, sem alterar suas características.

Apresenta 110mg de sódio por grama de sal líquido.

Comparado ao sal comum tem menor teor de sódio, sendo composto por com 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio.

Ao contrário do que o nome sugere este sal não é indicado para quem deseja emagrecer, e sim para aqueles que têm restrição em relação ao consumo de sódio (como indivíduos com pressão alta). Entretanto, indivíduos com doenças renais não devem utilizá-lo, pois o aumento da ingestão de potássio pode causar um acúmulo do mineral no organismo, elevando o risco de complicações cardiovasculares.

E atenção: apesar de ter menos sódio, não vale exagerar nas borrifadas.

Em 1g de sal light há 197mg de sódio.

 

Sal Marinho

Geralmente possui um custo mais elevado do que o sal de cozinha devido ao modo de extração (raspagem manual da superfície de lagos de evaporação).

Alguns sais marinhos não são tão processados como o sal de cozinha e, por isso, mantém os minerais que normalmente seriam removidos no processo de refinação. Pode ser grosso, fino ou em flocos.

Sua cor varia conforme o lugar de onde vem e dos minerais que contém.

Assim como o sal de cozinha comum  ele pode temperar carnes, aves, peixes, verduras e legumes, realçando o sabor desses alimentos.

Como a quantidade de sódio é alta, deve ser usado com muita moderação.

Um grama contém normalmente cerca de 420mg de sódio.

Dentre os sais marinhos podemos encontrar:

  1. Sal do Himalaia

  2. Sal rosa do Peru

  3. Sal do Havaí

  4. Sal negro (ou da Índia)

 

  1.  Sal do Himalaia

Está localizado aos pés do Himalaia, região que há milhões de anos foi banhada pelo mar. Considerado o mais antigo e puro dos sais marinhos, fica depositado a centenas de metros de profundidade. Tem quase metade de sódio encontrado no sal comum e é muito rico em minerais (são mais de 80), tais como cálcio, magnésio, potássio, cobre e ferro. Por causa desses compostos, os cristais ganham um tom rosado e um sabor agradável e suave.

Em 1g de sal Rosa do Himalaia há 230mg de sódio.

 

  1. Sal Rosa do Peru

Tem como origem um oceano muito antigo que secou e ficou preso nos subterrâneos das montanhas no Vale Sagrado dos Incas. É colhido manualmente, tem um índice de umidade elevado, sua coloração é rosa clara e o sabor, forte.

Utilizado em um prato típico do Peru, o ceviche, também pode temperar aves, peixes, entre outras receitas.

Em 1g de sal Rosa do Peru há 250mg de sódio.

 

  1. Sal do Havaí

Essa variedade de sal não é refinada e apresenta uma coloração avermelhada por causa da presença de uma argila havaiana chamada Alaea, rica em dióxido de ferro.

De sabor suave, pode ser acrescentado a várias receitas, como saladas, massas, grelhados e aves. Tem quase a mesma quantidade de sódio encontrada no sal comum. Portanto, nada de mão pesada no saleiro! Em 1g de sal Havaiano há 390mg de sódio.

 

  1.  Flor de Sal

Contém 10% mais de sódio do que o sal de cozinha. Na elaboração são utilizados apenas os cristais retirados da camada superficial das salinas. Translúcidos, os grãos são conhecidos por conferir uma textura crocante às preparações. Essa variedade contém muito sódio, mas também carrega magnésio, iodo e potássio. Para não perder sua capacidade de deixar os pratos crocantes e com sabor mais intenso, recomenda-se que seja adicionado após o preparo das receitas – ele combina perfeitamente com saladas. Em 1g de Flor de Sal há 450mg de sódio.

 

  1. Sal da Índia ou Sal Negro

Trata-se de um sal não refinado procedente da Índia. Por conta de compostos de enxofre presentes em sua composição tem um forte sabor sulfuroso. Outra coisa que chama a atenção é a cor cinza rosada, que evidencia sua origem vulcânica.

Além de compostos sulfurosos, o sal negro é formado por cloreto de sódio, cloreto de potássio e ferro.

Em 1g de sal negro há 380mg de sódio.

 

  1. Sal Defumado

De aspecto acinzentado é defumado sobre chamas da madeira, dando sabor especial quando adicionado às preparações. O sal defumado francês é feito com cristais de flor de sal defumados lentamente em fumaça fria resultante da queima de ripas de barris de carvalho usados no envelhecimento de vinho chardonnay. Já o sal defumado dinamarquês é feito segundo a tradição viking: após a evaporação da água do mar, o sal é secado sobre uma fogueira fumacenta, feita com galhos de madeiras aromáticas, como carvalho e cerejeira. Há ainda sais defumados de outros países, produzidos por defumação comum em fumeiros com madeiras. Pode ser utilizado com carnes, peixes, saladas e também em coquetéis como o Bloody Mary.

Em 1g de sal defumado há 395mg de sódio.

Pedir Música